adubacao-de-producao-cafeCafeicultura

Café – Adubação Para Alta Produção

Em “Recomendações de adubação e calagem,” (Boletim Técnico 100 – IAC), no capítulo 15-4 sobre café, encontramos na p. 99 um quadro de recomendação e orientação da adubação mineral do café em produção, em função da analise foliar do N (nitrogênio) e do resultado da analise do solo para o fósforo (P), o potássio (K), tendo em vista a estimativa da produção esperada.

Dada a importância destas informações, para se alcançar alta produtividade de nossa cafeicultura, transcrevemos as tabelas do quadro, em anexo, pois serve de base na orientação da adubação, para a cafeicultura nacional.

Assim reproduzimos abaixo;

“Adubação mineral de produção; Aplicar os adubos minerais, a partir do 3º ano agrícola (2º ano após o plantio), em função do teor de N nas folhas, dos teores de P, K, B, Mn e Zn, revelados pela análise de solo e da produtividade esperada, de acordo com as tabelas seguintes;

Produtividade
Esperada (1)
Teor de N nas folhas, g/kg P resina, mg/dm³ K+ trocável, mmolc/dm³
-26 26-30 +30 0-5 6-12 13-30 +30 0-07 0,8-1,5 1,6-3,0 +3,0
kg/ha N, kg/ha P2 O5, kg,ha K2O, kg/ha
0-600 150 100 50 40 20 20 0 150 100 50 20
600-1200 180 120 70 50 30 20 0 180 120 70 30
1200-1800 210 140 90 60 40 20 0 210 140 90 40
1800-2400 240 160 110 70 50 30 0 240 160 110 50
2400-3600 300 200 140 80 60 40 20 300 200 140 80
3600-4800 360 250 170 90 70 50 30 360 250 170 100
+4.800 450 300 200 100 80 60 40 450 300 200 120

(1) Café beneficiado.

Acrescentar S (enxofre) à adubação, na base de aproximadamente 1/8 do N (nitrogênio) aplicado. Essa adubação pode ser dispensada se a análise de solo revelar teores no solo acima de 10 mg/dm³ de S.” (Recomendações de adubação e calagem, p.99)

A concentração do adubo; é a soma de unidades N-P-K existentes em 100 kg.. É considerado de alta concentração o que contêm mais de 40 unidades em 100 kg.

O adubo composto de alta concentração corresponde a mistura de adubos simples com elevado teor do elemento principal, como; ureia =45% de N; superfosfato concentrado ou hiperfosfato = 40% de P2 05; cloreto de potássio = 65% de k20. Exemplo; 20-10-20 = 50 unidades.

As fracas dosagens são como exemplo 10-05-10 =25 kg de N-P-K em 100 kg da mistura do adubo composto, que somente se obtém com os fertilizantes simples de baixa concentração dos elementos principais que cada um fornece, como; sulfato de amônia = 20% de N; superfostato de cálcio ou superfosfato simples = 20% de P205; sulfato de potássio = 50% de K2 0.

Uma regra, norma ou lei para aplicação dos fertilizantes; quanto mais concentrada a formula, menor volume aplicado por área; quanto mais adensada a lavoura, menor será a quantidade por cafeeiro; quanto maior for a estimativa da produção, maior será a quantidade de fertilizantes por hectare e por cafeeiro.

Por exemplo, supondo uma recomendação de N-P-K = 120 -60-120 por hectare, caracterizado numa lavoura com estimativa de 20 s/ha (1.200 kg), com analise folhear do N = 26-30 g/kg, analise de solo com P resina = 0-05 mg/dm³ e K2 0 = 0,8-1,5 mmolc/dm³, conforme indicação recomendada na 2º linha da tabela, temos;

1- Usando adubo de alta concentração como na formula de 20-10-20 a aplicação seria de 600 kg/ha;

1.1- com 2.000 pés/ha = 300 gramas/cafeeiro;

1.2 -com 4.000 pés/ha = 150 gramas/cafeeiro;

2- Usando adubo simples de baixa concentração como na formula 10-05-10 seria aplicado 1.200 kg/ha;

2.1 – com 2.000 pés/ha = 600 gramas/cafeeiro;

2.2 – com 4.000 pés/ha = 300 gramas/cafeeiro.

O quadro com tabelas reproduzido acima facilita a interpretação e recomendação da adubação em função da necessidade real do solo e da cultura. Oportuno agora, quando a região já possui um importante e moderno laboratório de analises de solo inaugurado em Manhuaçu em 25-04-98, fruto do esforço e compreensão das lideranças representadas pelo Sindicato Rural, EMATER, ACARLESTE, Prefeitura Municipal, Fundação Banco do Brasil, etc. em defesa da nossa moderna cafeicultura, visando alta produtividade e melhor qualidade com menor custo de produção do nosso nobre produto, necessário na competição internacional e mesmo na concorrência com outras regiões de Minas e do Brasil.

(06/05/1998) Ruy Gripp

Posts Relacionados

Deixe uma resposta