diferenca-entre-arroz-integral-arroz-brunidoSaúde

Diferença Entre Arroz Integral e Arroz Brunido

Arroz Integral x Arroz Brunido

Algumas razões permitem indicar a possibilidade da volta ao consumo do arroz como uma boa para contribuir positivamente para melhoria da alimentação e da saúde do povo brasileiro. Vejamos:

Facilidade da produção do arroz “integral” nas mesmas máquinas já existentes para o beneficiamento do arroz branco, tipo brunido, de consumo tradicional. Basta desativar o brunidor. Máquinas de descascar arroz espalhadas por todas as regiões produtoras.

1- Ser o arroz cultivado e consumido em todos os estados, em todos os climas com possibilidade do descascamento do arroz do tipo integral, próximo do consumidor. Isto, pelo menos no meio rural e nas cidades do interior.

2- Existem estudos comparando que antigamente o povo tinha melhor saúde porque se alimentava melhor com cerca 70 produtos diferentes alimentos mais integrais; atualmente o povo está cada vez mais doente porque sua alimentação está cada vez pior, deficiente, incompleta nos seus valores nutricionais; apenas quatro produtos fornecem 90% da alimentação básica da maioria da população. São arroz, trigo (pão, macarrão), feijão e carne. A carne pelo seu alto preço é pouco consumida pelas classes de menor poder aquisitivo. O arroz e o trigo são consumidos rebeneficiados, portanto eliminado do consumo humano, a parte importante de seus nutrientes vitais.

3- Divulgação, nos últimos anos, da macrobiótica uma filosofia da alimentação e da manutenção da saúde através da nutrição equilibrada, tendo como alimento básico o arroz integral, que vai assim sendo conhecido e aceito.

4- Receita médica, do arroz denominado “dietético” para doenças carenciais, que nada mais é do que o arroz integral, descascado.

Arroz Integral

O que é arroz integral? É o arroz descascado. Possui uma coloração escura amarelada ou cinzenta.

Tem um aspecto encardido por permanecer com a película externa do grão abaixo da casca fibrosa.

Esta película é constituída do óleo do arroz e dissolvido no óleo contem a maior parte dos minerais e vitaminas existentes no produto.

Também esta película em proteína e fibra.

Arroz Brunido

O arroz branco é branco por ter sido brunido, lixado, escovado, esfregado contra o outro e todos contra a parede do brunidor por meio de uma escova de borracha. Uma operação efetuada após o descascamento, forçando a retirada da película escura e externa do grão que contem aquelas importantes substancias vitais. O subproduto separado do arroz é denominado farelinho do arroz e é destinado à alimentação animal.

Por ser o arroz um predileto de cada lar, um dos alimentos atualmente mais consumido em cada casa, à volta ao consumo em sua forma integral, como era consumido antigamente (socado no pilão ou no monjolo), representará um grande avanço tecnológico na melhoria da qualidade nutricional do povo brasileiro.

O arroz integral é diferente do arroz branco tanto no aspecto na cor, no sabor, como no valor nutritivo principalmente no seu valor nutricional reside sua diferença positiva, superior, melhor.

É preciso cada família analisar quanto perde em saúde e em gastos com farmácia por deixar de consumir o arroz no seu valor total, integral. Vamos imitar a sabedoria dos chineses e japoneses e dos povos orientais, que tendo o arroz como alimento principal e básico, o consomem no tipo integral, com toda sua película externa, rica em óleo, proteína, fibra, vitamina e minerais.

Nosso organismo tem necessidade destas importantes substâncias vitais, denominadas biologicamente ativas. Representa uma grande burrice, uma bestialidade incompressível destinar aos animais substancias tão necessárias à alimentação do ser humano, um desperdício imperdoável. Um atraso que precisa ser corrigido.

arroz-branco-vs-arroz-integral

O quadro abaixo mostra a diferença porcentual dos nutrientes do arroz integral, comparando com o arroz branco, brunido.

Projetamos a contribuição do arroz em toneladas de proteínas, gordura, amido, mineral e vitaminas para uma produção e consumo de 10 milhões de toneladas do produto em casca, ou seja, aproximadamente 7.000.000.00 de toneladas do produto beneficiado.

Destacamos para as vitaminas B1, B2, B5 as necessidades diárias e anuais por pessoa, e o total anual para nossa população de 140 milhões de brasileiros, assim como a contribuição percentual em referência ao arroz integral e brunido. Vejamos: 

NUTRIENTES ARROZ INTEGRAL ARROZ BRUNIDO DIFERENÇA
Proteína 8,1%

576.000ton.

7,2%

504.000

0,9%

63.000

Lipídios

(Óleo)

1,6%

112.000ton.

0,2%

42.000ton.

1%

70.000ton.

Clicídios

(Amido)

76,6%

5.362.000ton.

79,7%

5.579.000ton.

3,1%

217.000ton.

Cinza 1,3% 0,5% 0,8%

Na análise do quadro acima verificamos que se todos os brasileiros consumissem o arroz do tipo “integral”, haveria uma suplementação de 30% de vit. B1, 36% de vit. B2, em relação às necessidades totais da população. Este percentual também é válido para cada pessoa isoladamente.

Para cada consumidor em particular. Cada brasileiro consome em média 50 Kg de arroz/ano (7.000.000.000 Kg 140 milhões de habitantes), ou seja, 136g/dia. Com 0,36 mg /100g de vit. B1 no arroz integral as 136 gramas fornecem 0,48 mg ou seja 32% das necessidades médias diárias.

Vemos assim o potencial que existe para a melhoria da nutrição de nossa população ou de cada indivíduo em particular. Voltando ao consumo do arroz integral, como era no tempo do pilão e do monjolo, agora temos as maquinas que podem beneficiar o arroz integral com menos gasto de energia do que para o arroz brunido.

Somente desligando o brunidor para evitar polimento do arroz e a retirada da película rica em minerais e vitaminas, com bom teor de óleo, proteína e fibra.

O histórico da palavra vitamina está ligado no arroz integral. Em “sugar blues” Willliam Dufty relata que em 1890 surgiu uma doença na Ilha de Java, posteriormente reconhecida como beribéri que estava vitimando muita gente. Foram convocados médicos formados na Alemanha para pesquisar o caso.

Um deles, Dr. Eijkman, retirou sangue de doentes e aplicou em galinhas criadas no pátio do hospital, na suposição de sua transmissão para as aves e na hipótese da contaminação através do sangue.

Após algum tempo apareceram galinhas doentes, com sintomas semelhantes aos dos seres humanos, mas tanto naquelas que foram aplicadas o sangue quanto nas outras. Repentinamente as galinhas sararam, mas as pessoas continuavam a morrer.

Indagando soube que as galinhas normalmente eram tratadas com arroz em casca, mas no período em que adoeceram tinham sido alimentadas com o arroz branco, pela falta ocasional do arroz em casca.

Logo que administração verificou que estavam dando arroz brunido às aves considerando aquilo um desperdiçou providenciou o retorno ao arroz integral e as galinhas recuperaram prontamente.

Passou então a observar que entre os nativos da ilha, na ocasião com cerca 10 mil habitantes em situação crítica de higiene, não havia sequer um caso com aquela doença, verificou que eles usavam o arroz descascado por eles próprios na forma integral.

Entretanto, encontrou vários nativos hospitalizados, mas oriundos da prisão por algum delito, onde consumiam o arroz brunido como os funcionários, administradores e militares, pessoas que estavam adoecendo.

Em seu relatório, Dr.Eijkman, registrou a hipótese de que devia existir no arroz alguma substancia que evitava aquela doença e que podia cura-la. Passados alguns anos, médicos poloneses encontrando aquela observação a alimentar pombos, galinhas e porquinho da índia com dieta exclusiva de arroz polido, conseguido provocar os sintomas do beribéri naqueles animais.

Dr.Funk, retirou de 418 kg de arroz integral o correspondente a 170 gramas de farelinho e com uma pequena quantidade fez uma solução. Uma porção infinitesimal foi dada a uma pomba paralisada com o beribéri.

Ela recuperou-se em questão de horas. Em 1912 ele publicou sua ousada e radical teoria, segundo a qual uma substancia vital presente no arroz integral era removida no processo de refino.

Batizou esta misteriosa força natural que havia no arroz integral não polido. Ele pegou a palavra latina para vida – Vita: e combinou-a com a palavra AMINE – aminoácidos são componentes do protoplasma – e lançou a palavra VITAMINA. A vitamina anti-beribéri. Pág. 96-98.

Passado quase um século, a maior parte da humanidade ainda continua consumindo o arroz refinado, brunido, com gastos suplementares de energia para remover aqueles importantes nutrientes contidos na película escura do arroz, necessários para manutenção da saúde.

Reintrodução do Arroz Integral na alimentação

Para a reintrodução do hábito do consumo do arroz integral torna-se necessário:

1) Esclarecimento sobre suas vantagens superiores, em comparação com o arroz branco, suas diferenças, facilidade de obtenção nas tradicionais máquinas de beneficiamento com maior rendimento e menor gasto de energia, por ser apenas descascado.

2) Pesquisa visando sua melhor conservação através de embalagem adequada de plástico ou de revestimento de cada grão com substância inerte, protetora e isolante para evitar fermentação em contato com a umidade (isto as grandes empresas distribuidoras).

3) Consumo obrigatório através da merenda escolar, habituando a consumi-lo apesar de sua diferença em cor, sabor, cheiro e dureza.

4) Estimulo a descentralização das maquinas de beneficiamento junto ao mercado consumidor e pesquisas com micro descascadores, para nível domestico ou da pequena propriedade rural; a realidade da eletrificação rural, já permite à micro industrialização.

5) Engajamento dos veículos de comunicação, da extensão rural, dos órgãos ligados à saúde e educação numa campanha para a volta aos produtos integrais e naturais como; rapadura ou açúcar mascavo, fubá e arroz integral, com a divulgação da economia em serviços médicos e hospitalares e de remédio, pela contribuição positiva na manutenção da SAÚDE .

Ruy Gripp

Posts Relacionados

Anúncios

Deixe uma resposta