gergelim-alimento-e-condimentoSaúde

Gergelim – Alimento e Condimento

Em artigo “As Fibras do Arroz Integral para evitar doenças” focalizamos o gergelim como condimento para melhorar o sabor do arroz integral. O dicionário descreve condimento como: Substância aromática, geralmente de origem vegetal, usada para realçar o sabor dos alimentos; Tempero.

Como exemplo, de tempero popular, temos: o sal de cozinha, o vinagre, a pimenta curtida, o alho, a cebola, etc. Muitos condimentos pouco ou nada acrescentam como fornecedores de nutrientes, além do sabor ou aroma para aumentar o apetite. Alguns condimentos já estão sendo consumidos até em excesso, como o sal que é utilizado também como conservante dos produtos de origem animal.

O alho e cebola são dois condimentos de excelente valor nutricional, contendo substancias biologicamente ativas protetoras de nossa saúde. Contém vitaminas e minerais nobres que evitam doenças e fortalecem nosso organismo contra afecções de vírus, bactérias e fungos.

Pela importância do gergelim, vamos transcrever na integra o artigo da revista “ Vida e Saúde” de Maio/2002 que sintetiza o valor deste vegetal milenar, ainda muito consumido em vários continentes, outrora já cultivado em sítios da nossa região pelos nossos ancestrais, como confirma vários agricultores idosos, lembrando que seus pais plantavam o gergelim para consumo domestico.

Portanto, podemos e devemos reintroduzir o consumo do arroz integral, e também do gergelim, assim como cultivar estes dois vegetais importantes, nos próprios sítios, na nossa horta, na beira dos terreiros ou no meio da carreira do café, para consumo próprio, familiar, com menor custo, pois nos supermercados tem preços elevados.

Vejamos as virtudes do gergelim no artigo abaixo:

“GERGELIM – Plantas: Sementes de Saúde. (Vida e Saúde, Maio/2002, pág. 23). O gergelim do pãozinho de hambúrguer é mais do que um enfeite. Rico em proteínas e vitaminas, é um poderoso revitalizador da saúde. Dr. Jorge Pamplona Roger – (Autor da Enciclopédia das Plantas Medicinais.)

Cientificamente chamado de Sesamum indicum L., o gergelim é uma planta herbácea que atinge até 1,5 m de altura. Suas flores são brancas, cor-de-rosa ou púrpura. Os frutos se desenvolvem em cápsulas contendo várias sementes achatadas de 2 a 5 mm de comprimento.

Normalmente têm cor castanha, embora também sejam encontrados nas cores branca, vermelha ou negra. Originário do Oriente Médio e da Índia, atualmente é cultivado em outras regiões tropicais e subtropicais da América, na África e em países mediterrâneos.

É uma planta oleaginosa, cujas sementes eram muito apreciadas na Mesopotâmia, Índia, Grécia e no Egito, como condimento e alimento energético.

As sementes de gergelim contêm grande variedade de nutrientes de alto valor biológico. Entre eles, destacam-se os seguintes:

1) LIPÍDIOS (52%) – Praticamente todos eles são constituídos por ácidos graxos insaturados, o que lhes confere grande eficácia na redução do colesterol. Entre as gorduras do gergelim, encontra-se a lecitina, um fosfolipídio que desempenha importante função no organismo.

É componente essencial do tecido nervoso e também se encontra no sangue, no sêmen e na bílis, interferindo na função das glândulas sexuais.

 A lecitina é um poderoso emulsionante, que facilita a dissolução das gorduras em meio aquoso. Uma das suas funções no sangue consiste em manter dissolvidos os lipídios em geral, especialmente o colesterol, evitando que se formem depósitos de placas nas artérias.

2) PROTEINAS (20%) – De alto valor biológico, formadas por 15 aminoácidos diferentes, com uma elevada proporção de metionina (aminoácido essencial).

3) VITAMINAS – Especialmente as vitaminas E, B1 e B2.

4) Minerais e oligoelementos – Especialmente cálcio, fósforo, ferro e magnésio, cobre e cromo.

5) Mucilagem – A ela se deve a ação laxante do gergelim.

 Aplicações – Observando-se a composição essa semente, não surpreende que nos países orientais ela seja considerada um restaurador da vitalidade e da capacidade sexual. Entre outras aplicações, destacamos as seguintes:

Problemas nervosos – O gergelim é útil em casos de esgotamento nervoso ou mental, estresse, perda de memória, melancolia, depressão, irritabilidade e insônia. É um excelente complemento nutritivo para quem vive sob intensa atividade mental ou intelectual e deseja manter um bom rendimento.

Sobrecarga física – Também age em situações de cansaço decorrente da prática esportiva, gravidez, lactação, convalescença de doenças ou cirurgias.

Incapacidade sexual – Tanto para o homem como para a mulher, o gergelim serve para restaurar a vitalidade e a capacidade sexual.

Doenças cardíacas – Combate o excesso de colesterol no sangue, arteriosclerose, previne o infarto do miocárdio e a trombose arterial.

Preparo e emprego – As sementes de gergelim podem ser ingeridas cruas ou ligeiramente torradas. Para isso, primeiramente deixe-as de molho, durante 15 minutos, coando-as em seguida, para eliminar a sujeira. Depois as coloque numa caçarola, mexendo sempre com uma colher de pau. Guarde-as num frasco e coma duas ou três colheres (café) depois do almoço e da janta.

Variedade no preparo. Existem três outras maneiras de preparar o gergelim, além de torrar as sementes.

A) Óleo: Pode-se usar como qualquer outro óleo. É muito estável e pouco sujeito a criar ranço.

B) Tahine: Pasta muito saborosa, obtida moendo as sementes. Substitui a manteiga e a margarina.

C) Gomásio – Pasta formada por 14 ou 15 partes de gergelim torrado e triturado e uma de sal marinho. Além das propriedades medicinais, é um excelente condimento nos países orientais.”

(Artigo extraído da revista “ Vida e Saúde”, Maio de 2002, p. 23 e 24.)

OBSERVAÇÃO – As sementes de gergelim são encontradas normalmente nos supermercados. Podem ser adquiridas para consumo, sendo que as mesmas servem para plantio.

A melhor época de plantar para maior produtividade é no inicio das chuvas, portanto em outubro ou novembro. Mas na horta, com irrigação, pode plantar em qualquer mês do ano. O espaçamento aconselhado é em torno de 0,40 x 0,80 m, com umas 5 a 6 sementes por cova, com desbaste para ficar apenas 2 a 3 hastes.

Adubação química: 10 a 15 g. por cova da formula 04-14-08. Tem um ciclo anual, com colheita antes de maturação completa, para evitar abrir a válvula do fruto no campo e perder as sementes.

As hastes em ponto de colheita depois de cortadas, são dispostas em pé, em local coberto e arejado, em cima de lona plástica, para melhor aproveitamento das sementes. Estas são muito pequenas, cerca de 150 por cada grama ou 150.000 sementes por cada quilo.

Sabemos que o gergelim contém cerca de 5% de fibra, portanto também enriquece nossa cota diária desta até então desprezada substancia importante na defesa de nossa saúde que são as fibras vegetais, como nos ensina o Dr. Sidney Federman em seu livro “Os alimentos que evitam o câncer e outras doenças”.

 Eng Agr Ruy Gripp

Posts Relacionados

Deixe uma resposta