importancia do humus no soloCafeicultura

A Importância do Húmus no Solo

O húmus no solo representa uma fase importante da fermentação da matéria orgânica em seu estado de decomposição e mineralização de seus componentes químicos. Tem características e propriedades físicas e químicas notáveis que contribuem para aumentar a produtividade de todo e qualquer solo agrícola, em toda e qualquer cultura.

Em Informações Agronômicas, nº 80 – Dezembro/97 da POTAFOS – Associação Brasileira para Pesquisa da Potassa e do Fosfato – Piracicaba -SP encontramos uma pesquisa de grande profundidade dos pesquisadores M. A. Pavan; J. C. Chaves; R. Siqueira; e A. Androcioli Filho do IAPAR- Londrina -PR com o título “Cultura do Cafeeiro – O Sistema de Plantio Adensado e a Melhoria da Fertilidade do Solo” que pela sua importância para nossa região cafeeira, quando se intensifica aqui o adensamento de nossos cafezais, achamos oportuno transcrever as informações abaixo;

“Introdução – O principal objetivo dos programas de manejo de planta e solo é a obtenção de produções lucrativas e sustentáveis. Do ponto de vista agronômico, a sustentabilidade em lavouras cafeeiras pode ser alcançada com o uso de práticas conservacionistas de solo e água.

Os processos de degradação do solo, como erosão, lixiviação, oxidação da matéria orgânica, acidificação e outros, reduzem a capacidade produtiva do solo e retardam o progresso para a sustentabilidade. Por outro lado, as práticas de adensamento, adubação verde, calagem, terraceamento, escarificação, e outras, garantem a melhoria das condições físicas e químicas do solo.

O declínio contínuo da capacidade produtiva do solo tem sido um dos maiores problemas associados com plantios de cafeeiros em espaçamentos largos ou com baixa população de plantas por unidade de área. Nestas condições, a erosão, a lixiviação e a oxidação da matéria orgânica e de outros compostos como N – NH 4+ são processos relativamente rápidos que contribuem para a acidificação contínua e aceleração da degradação da fertilidade do solo.

Os sistemas de plantio com baixa densidade de plantas por unidade de área têm contribuído de tal forma para acelerar os processos de degradação do solo que pode-se atribuí-los como sendo uma das principais causas de abandono da cafeicultura em muitas regiões cafeeiras.

Por outro lado, a lavoura cafeeira adensada é um sistema conservacionista que protege o solo, diminui as perdas por erosão e lixiviação, diminui a oxidação da matéria orgânica, proporciona melhor manejo dos resíduos vegetais e melhora o sistema interno de reciclagem de nutrientes, principalmente N, diminuindo as perdas de N03 do ecossistema, que é uma das principais causas de acidificação do solo.

O número de plantas por unidade de área é um dos principais aspectos a ser definido na implantação de uma lavoura cafeeira, não só pela influência na produção, mas também devido as interações com os tratos culturais (adubação, colheita, manejo das ervas daninhas, poda, etc.) e fitossanitários.

Em um estudo conduzido no Norte do Paraná, observou-se que o aumento na população de cafeeiro de 1.250 a 2.500 covas/ha proporcionou aumentos significativos na produção de duas variedades de café (Catuaí Vermelho e Acaiá) e do híbrido Icatu.

Com base em uma série de resultados de pesquisas de campo concluiu-se que o sistema adensado de plantio de cafeeiro, caracterizado por altas populações de plantas por unidade de área, é uma prática viável para as condições da cafeicultura paranaense, devido principalmente ao substancial aumento na produtividade.

Recentemente, constatou-se em um outro experimento no Norte do Paraná que o aumento na população de cafeeiros de 1.111 a 3.333 covas/ha não só aumentou a produção de café como era previsto, mas também a eficiência das plantas no uso dos nutrientes minerais.

Embora existam informações suficientes de que o aumento da população de cafeeiros por unidade de área proporciona aumentos na produção, pouco se conhece sobre os efeitos ambientais associados com a fertilidade do solo. Este fato é de suma importância.”

Oportunamente daremos continuidade ao assunto acima, reproduzido do boletim Informações Agronômicas, Dezembro/97 sobre as vantagens do adensamento na cultura cafeeira, para conheceremos as razões da melhoria da fertilidade do solo em função de um maior número de cafeeiros por unidade de área cultivada.

(14/07/1998) Ruy Gripp

Posts Relacionados

Anúncios

Deixe uma resposta