merenda-escolar-alimentos-saudaveisSaúde

Lei Merenda Escolar com Alimentos Saudáveis e Nutritivos

O jornal “O Tempo”, de BH de 07-08-2009 divulgou uma noticia muito importante para a saúde dos alunos e estudantes em geral. Poderá contribuir para mudar os hábitos da alimentação da população brasileira, quando for adotada em todo o Brasil.

Trata-se de uma Lei aprovada na ALMG (Assembleia Legislativa de Minas Gerais), projeto que proíbe alimentos calóricos e não nutritivos, que aguarda sanção do governador. Trás como titulo em destaque: “Guloseimas ficarão longe da merenda dos alunos em Minas”, da repórter Raíssa Maciel, p. 28.

Medida, que vale para escolas públicas e privadas, entraria em vigor em 2010. Frutas, legumes e sucos naturais não costumam ser a preferência das crianças e dos jovens. Mas os estudantes terão que se acostumar a ter uma alimentação mais saudável, pelo menos enquanto estiverem na escola.

Foi aprovado ontem, em segundo turno, pelos deputados, o projeto Merenda Saudável, que proíbe que as cantinas de todas as escolas publicas e particulares em Minas Gerais ofereçam qualquer produto de alto poder calórico e poucos nutrientes, como biscoitos refrigerantes, salgadinhos e balas.

Segundo o autor do projeto, o deputado Délio Malheiros (PV), a expectativa é que o governador Aécio Neves sancione a projeto em até 30 dias. Depois, as escolas terão seis meses para se adaptarem às novas regras.

“Queremos que, na volta das férias, em fevereiro de 2010, todas as escolas já estejam oferecendo comida saudável a seus alunos”, disse o deputado.

As novas medidas vão atingir todas as instituições de ensino infantil, fundamental e médio do Estado. Segundo o presidente do Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (Sinep-MG), Ulysses Panisset, tudo o que contribui para a saúde é bem-vindo.

“Somos a favor dessa lei. Acredito apenas que é necessário haver uma sensibilidade grande quanto à aplicação. Queremos que essa seja uma lei que peque.”

Para a pediatra Laís Valadares, presidente do Comitê de Saúde Escolar da Sociedade Mineira de Pediatria, a medida é excelente para que se formem adultos conscientes. “É importante, inclusive, que a escola não só ofereça em sua cantina alimentos saudáveis, como explique para as crianças, jovens e pais a importância de uma alimentação e de uma vida mais saudável”, ressalta.

Resistência – Délio Malheiros acredita que o projeto Merenda Saudável será bem recebido por professores, alunos e pais. A única resistência, segundo o deputado, deverá partir de que fornece os produtos que serão proibidos nas cantinas.

“Empresas que comercializam refrigerantes, chips e balas, com certeza, não vão querer que as regras sejam implementadas, mas é para o bem da saúde da nossa população.”

É preciso saber:

1- Obesidade. A obesidade constitui o fator de risco mais visível e grave par contrair outras doenças não-transmissíveis, segundo a Opas.

2- Previsão. Estudo publicado no “International Journal of Pediatric Obesity” prevê que, até 2010, metade das crianças das Américas do Sul e do Norte estarão acima do peso.

Números da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas): 240% foi o aumento da obesidade entre vens e crianças no Brasil em apenas 20 anos; 300 milhões de pessoas de todo o mundo sofrem com a obesidade; 17,5 milhões de crianças de todo o mundo, com menos de 5 anos de idade, são obesas.

Comer bem. Lista de alimentos que podem ser proibidos as cantinas das escolas públicas e privadas em Minas: Salgadinhos e pipocas industrializadas; Salgados; Pães e biscoitos; Balas e gomas de mascar; Pirulitos; Bebidas artificiais; Catchup, mostarda e maionese; Frituras; Alimentos apresuntados e embutidos; Também será proibida a venda de qualquer produto de alto teor calóricos e / ou de poucos nutrientes.

Funciona – Crianças se adaptam bem à dieta saudável. No Instituto Sara Camilo, no bairro metropolitano de Belo Horizonte, a nova lei que proíbe a venda de guloseimas e alimentos muito calóricos nas escolas não terá impacto.

Há quatro anos, a escola, que tem alunos do maternal ao 5º ano do ensino fundamental, assumiu a responsabilidade quanto a alimentação das crianças e serve, todos os dias, comida balanceada, a partir de um cardápio desenvolvido por uma nutricionista.

A medida, segundo a diretora Sara Camilo de Carvalho, a principio foi um problema. “Nenhuma criança gostou de não poder mais trazer biscoito recheado e refrigerante.

“Mas, hoje, todas elas adoram a merenda da escola”, afirma. Sara conta que é comum, quando chega uma criança novata, que os pais digam que ela não come frutas, por exemplo, que a alimentação da escola pode ser um problema. “Mas todas aprendem a comer e passam a gostar”, ressalta a diretora.

Ainda mais rigorosa que a legislação que deve entrar em vigor em Minas, a escola dirigida por Sara proíbe que os alunos levem qualquer alimento de casa.” As crianças vêm para a escola com a pasta com o material escolar. E só.” A única exceção é o chamado “dia da fruta”.

As segundas-feiras, as crianças levam uma fruta, de sua preferência, que é dividida entre todos da classe. Assim os alunos experimentam todas as frutas e aprendem a ter uma alimentação melhor (Raíssa Maciel).

Nota – Reproduzido do jornal citado. Esperamos que este projeto possa ser compreendido, executado na pratica com apoio de toda a população envolvida nos setores do ensino e da saúde.

(12/08/2009) Ruy Gripp

Posts Relacionados

Deixe uma resposta