Artigos de Livros

Palmeiras no Brasil – Importância Econômica

palmeirasNo livro Palmeiras do Brasil- nativas e exóticas, de Harri Lorenzi e outros, Ed. Plantarum Ltda. encontramos: “Palmas aos Príncipes – Essas plantas maravilhosas são predominantemente tropicais, com algumas poucas espécies ocorrendo em latitudes mais altas. Estão reunidas na família Palmae que, por sua vez, pertence à ordem Príncipes. Foi feliz o sistema que criou o nome da ordem, pois seus membros como que constituem uma realeza, do vasto reino botânico. Agora, dois príncipes da botânica nacional nos oferecem sua competência, bom gosto e dedicação consubstanciados em um livro notável que coloca ao alcance de todos seus conhecimentos sobre as palmeiras, com ótimas fotografias das plantas e de detalhes de etapas, flores, frutos e sementes, breve notícia da ecologia das espécies, locais de origem, manipulação e plantio das sementes. Reuniram os nomes vernaculares pelos quais são conhecidas as plantas brasileiras e as exóticas cultivadas há mais tempo e que já ganharam nomes vulgares. Fizeram cuidadosa revisão da nomenclatura científica, atualizando-a e referindo, também, gêneros e espécies que perderam validade, mas que são conhecidos dos leitores que não tiveram a oportunidade de se pôr em dia com todas as mudanças taxonômicas”.

 “Utilidade das Palmeiras: As palmeiras juntamente com as árvores, arbustos, gramados e plantas rasteiras constituem elementos componentes de parques e jardins. São plantas mais características da flora tropical, com capacidade de transmitir ao meio em que são cultivadas, algo do aspecto luxuriante e do fascínio das regiões tropicais. São por isso elementos importantes na composição do paisagismo nacional. São consideradas as aristocratas do reino pelo porte altaneiro e elegante que as distingue facilmente de outras plantas, características essas que as levou a integrar a ordem PRÍNCIPES da Sistemática Vegetal, alusiva à posição nobre que ocupam no reino vegetal. Muitas palmeiras são de grande importância econômica pelos diferentes produtos que delas podem ser obtidos. Os produtos destinados à alimentação humana ocupam primeiro lugar”.

 “Distribuição Geográfica: No Brasil, a chamada Zona dos Cocais abrange extensas regiões, do norte e nordeste em direção ao centro, caracteriza-se pelos babaçuais, carnaubais e buritisais, e em direção ao oeste os carandasais. As demais regiões do país são uma verdadeira colcha de retalhos, salpicada em resumo, na Amazônia pelos buritis, tucumãs, inajás, marajás, jarinas, açaís; no centro pelos jerivás, macaúbas, guarirobas, bacuris; do centro para o sul pelos jerivás, juçaras, butiás; no centro-leste pelos lucuris, buris ; certos trechos da Serra do Mar pelos indaiás do litoral, pindobas, patis, guaricagas, icás, brejaúvas e à beira-mar pelos guriris, tucuns; e em cerrados do centro, os indaiás do campo. Estranhamente, registram-se no interior de São Paulo, duas formações isoladas e densas de uma espécie de Attalea a que chamam de babaçu”. Até pag. 9.

Palmeiras Nativas – São as espécies encontradas naturalmente no território brasileiro, podendo ocorrer também ou não em países vizinhos em estado nativo. O número exato de espécies é muito contraditório, dependendo dos autores. Segundo publicado recentemente, seriam aproximadamente 200 espécies típicas. Se forem incluídas as híbridas naturais, variedades botânicas e subespécies este número ultrapassaria 300. Neste livro estamos apresentando 132 espécies, ficando excluídas apenas algumas da Amazônia Ocidental. ” Pag. 17

Exóticas são as introduzidas de outros países e cultivadas no território brasileiro, mas que não são encontradas em estado nativo no pais. Seu número aproxima-se de 200 espécies, sendo 152 espécies descritas no livro”. Informações acima reproduzidas do livro Palmeiras no Brasil.

“Palmeiras Exóticas – são as introduzidas de outros países e cultivadas no território brasileiro, mas que não são encontradas em estado nativo no país. Muitas são amplamente cultivadas, outras apenas em posse de colecionadores e viveiristas. O seu número aproximado atual, segundo nossos levantamentos, aproxima-se de 200 espécies. Estamos apresentando neste livro 152 espécies, ficando excluídas apenas algumas de introdução recente ou que não estão se adaptando bem em nosso território. ” Pag. 151 Nota: Informações reproduzidas de Palmeiras no Brasil, de Harri Lorenzi, e outros. Na COOPASUL, Cooperativa de Consumo da UFV Ltda, Caixa Postal 208, em Viçosa-MG encontramos este e vários outros bons livros sobre agricultura, ecologia, economia, etc. que podem ser adquiridos pelo Reembolso Postal.

                                                                                              Ruy  Gripp – 01-10-97

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.