Piscicultura

Piscicultura Ornamental Como Terapia Ocupacional

Introdução

A criação de peixe ornamental disputa a liderança no mercado com pequenos animais como dos cães, gatos, pássaros e diversos bichos de estimação. Os pássaros, outrora muito comuns nas gaiolas ou poleiros, com as exigências e fiscalização do setor do meio ambiente, foram aos poucos se tornando raros, quase desaparecendo.

Os macacos (primatas), com o problema da transmissão de várias doenças, estão também desaparecendo como animais de recreação, divertimento, passatempo. Parece que chegou a vez do peixe ornamental, pois não tem aqueles vários problemas acima citados.

O peixe ornamental é para gente rica enfeitar as belas residências e também como diversão, passatempo, sendo, portanto, um meio importante das pessoas se divertirem e terem uma ocupação útil que lhe traga alegria e prazer em cuidar de animais. Um passatempo que proporciona uma importante Terapia Ocupacional de custo quase insignificante.

Peixe Ornamental

O cão e o gato são animais relativamente de grande porte, ocupando maior espaço na residência, mais gasto com alimentação, mais cuidados na higiene, mais problemas com tratamentos veterinários, Produz mais sujeira com suas fezes e pelos, mal cheiro e doenças alérgicas, como asma, bronquite, enxaqueca, urticária, etc

Os peixes ornamentais são animais de pequeno porte, que nos seus aquários transparentes ocupam pequenos espaços, consomem insignificantes quantidades de rações, e os próprios detritos orgânicos gerados são em parte metabolizados e consumidos na água onde vivem, e habitam ou facilmente removidos.

O reservatório de água de uma aquário, naturalmente exige cuidados para sua manutenção sadia, e funcionamento adequado, estando aí o passatempo e a terapia ocupacional do proprietário com tarefas leves, sem gastos de força física, mas tendo simplesmente de corrigir e ajustar a intensidade de luz, a distribuição correta da ração para evitar perdas que iriam prejudicar o meio ambiente da vida do peixe com fermentação do excesso do alimento distribuído.

São cuidados simples que trazem alegria aos que cuidam daqueles animais pequenos e bonitos que nadam constantemente de um lado para outro, nos seu exercícios diários que indicam estarem bem tratados, com os devidos cuidados exigidos pela atividade de sua natureza animal.

Peixe Ornamental 2

Portanto, os peixes ornamentais são animais que enfeitam uma residência sem poluição, sem muitos gastos além dos investimentos iniciais com as instalações do aquário e a aquisição de meia dúzia dos peixes que duram vários anos trazendo alegria sem muitas despesas.

Os gatos e cachorros de estimação trazem ou criam transtornos e problemas para seus proprietários e vizinhos e para a cidade como um todo.

Vantagens da Piscicultura Ornamental

Vantagens comparativas entre os peixes ornamentas e os cães e gatos nas residências das cidades. Com as dificuldades imposta pelas leis do meio ambiente, da proibição e fiscalização do comercio e manutenção de pássaros e outros animais em geral, vemos no peixe ornamental uma excelente oportunidade de expansão e utilização desta atividade, mesmo pelas famílias de pequeno poder aquisitivo, que também necessitam de lazer e descanso, esquecendo um pouco a televisão.

Cachorro e gato são animais muito importantes no meio rural, no controle de invasores no caso dos cães e para evitar a proliferação de ratos e outros roedores no caso especifico dos gatos;

Mas gatos e cães no meio urbano, nas cidades, possuem vários inconvenientes como transmissores de doenças, para os que cuidam destes animais domésticos se não forem vacinados corretamente e bem alimentados, conforme as diferentes raças, tamanho, etc.

Terapia Ocupacional

Com relação ao seu emprego com terapia ocupacional, acreditamos que os peixes ornamentais possuem vantagem excepcional, privilegiado, excelente em vários pontos como:

a) menor custo de manutenção;

b) menor ocupação de espaço;

c) menor preocupação com acidentes;

d) sem perigo de transmissão de doenças para o homem.

Os cães e gatos podem transmitir com seus pelos, certas alergias, além de nos seus passeio pela rua, trazer para dentro de casa insetos como pulgas, piolhos, sendo veículos de infecções graves para a saúde humana.

Assim analisamos que os peixes ornamentais podem funcionar como “Terapia Funcional”, sem estes inconvenientes negativos dos cães e gatos citados. A terapia ocupacional tem um histórico antigo, milenar. Foi inicialmente introduzido oficialmente como meio de tratamento hospitalar por Philippe Pinel (1745 -1826).

Da internet encontramos: Do séc. XVIII ao séc. XX – A Terapia Ocupacional como ciência interdisciplinar e método de tratamento sistematizado nasceu na segunda metade do século XVIII. Philippe Pinel (1745-1826), médico psiquiatra francês, teve conhecimento das experiências asilares (de asilo, assistência) em Espanha levadas a efeito pelas ordens religiosas e ficou impressionado com os resultados obtidos com doentes. Dedicou-se ao estudo destas doenças e pacientes à formulação de uma teoria e método de tratamento que são o fundamento da atual Terapia Ocupacional.

A Revolução Francesa proporcionou a Pinel a Direção do Hospício psiquiátrico de Bicêtre onde se deparou com a situação infra-humana dos doentes do foro mental rodeados de grades, presos em celas, acorrentados, com camisas- de- forças, sujos e rotos. Pinel levou a Revolução para o Hospício. Libertou os doentes e ocupou-os com variadas tarefas dentro do Hospital, nomeadamente com trabalho de jardinagem, de cozinha e na recuperação dos espaços.

Foi Kurt Schneider (1887-1967) quem, em finais dos anos de 1930, sistematizou os tipos de tratamentos adequados conforme os tipos de pacientes e graus da patologia, nomeadamente no campo da esquizofrenia.

No novo paradigma, os terapeutas ocupacionais propõem-se intervir em qualquer situação onde ocorra alteração do desempenho ocupacional. Na sua intervenção, centrada no cliente, os terapeutas ocupacionais utilizam as atividades significativas como meio ou como objetivo final, para restaurar o desempenho ocupacional alterado. Em 1952 foi criada a Federação Mundial de Terapeutas Ocupacionais. Desta organização fazem parte associações de terapeutas ocupacionais de todo o mundo.”

Conclusão

Assim, esperamos que também as atividade no cuidado com os peixes ornamentais seja um importante fator no tratamento, e principalmente na prevenção das doenças se enquadram na terapia ocupacional.

Ruy Gripp – 01-10-2018

Posts Relacionados

2 respostas »

  1. Gostaria bde ter acesso a matéria do seu avô que fala sobre café.
    A indicação foi do José Geraldo.

Deixe uma resposta