Meio Ambiente e Reflorestamento

Reflorestando o Brasil com Madeiras de Lei

O reflorestamento no Brasil e principalmente em Minas Gerais , tem sido feito quase que exclusivamente com a espécie “ EUCALIPTO ” pelas suas várias e importantes características econômicas, superiores às nossas tradicionais espécies nativas, denominadas “madeiras de lei ”.

Como principais vantagens temos: rápido desenvolvimento, com retorno mais cedo do capital investido; possuir mais de 600 variedades, com cerca de 20 selecionadas e adaptadas aos mais diversos tipos de solo e de clima, que atendem às mais variadas aplicações e usos da madeira, como: combustível, carvão, celulose para papel, escoramento, postes, serraria em geral, indústria moveleira, etc.

Pelas suas inúmeras aplicações existe certeza de comércio quando o cultivo for próximo de um destes mercados. Facilidade de obtenção de sementes selecionadas e melhoradas das variedades escolhidas. O desenvolvimento da cultura do eucalipto é rápido, com árvores de tronco reto e longo, corte precoce (4 a 6 anos para combustível, celulose, carvão, escora, etc). Alto rendimento por hectare / ano em comparação com as outras espécies nativas.

Com 15 a 20 anos fornecem madeira para serraria, na indústria madeireira de móveis, cujo potencial de mercado internacional é grande. Portanto, o eucalipto, uma espécie exótica, de origem australiana, introduzida em nosso país em maior escala por volta de 1910, profunda e intensamente pesquisado, defendido e divulgado pelo eminente Engenheiro Agrônomo Edmundo Navarro de Andrade, chefe do setor florestal da Companhia Paulista de Estrada de Ferro, tornou-se rapidamente uma madeira nobre e importante no Brasil, pelas suas inúmeras vantagens enumeradas.

Dr. Edmundo percorreu todos os países do mundo, onde já havia cultivo do EUCALIPTO, trazendo cerca de 150 variedades diferente para plantio e pesquisas nos vários Hortos Florestais que instalou ao longo da ferrovia, visando comparar e selecionar as melhores variedades.

Os propalados defeitos apontados pelos ambientalistas defensores da ecologia como: degradar o solo, secar as águas, destruir a fauna, etc., hoje já devidamente comprovado como grandes inverdades, baseados em argumentação leviana e falsa, desprovida de comprovação técnica e científica, evidenciam as inúmeras vantagens econômicas do eucalipto sobre todas as outras espécies existentes, sem prejuízo para o solo, clima e natureza.

Contudo, não devemos desprezar nossas centenas de árvores nativas, fornecedoras de ótimas madeiras de lei, muitas delas superiores em qualidade ao eucalipto para determinadas finalidades. Podemos citar algumas que se destacam, como:

Angelim (branco, amagoso, doce, do campo, pedra, falso, etc), Aroeira (mansa, mole, negra, do campo, do parana, vermelha, salsa, etc), Brauna (do sertão, parda, preta) , Cabiúna, Canela (amarga, areia, batalha, branca, cheirosa, côrvo, do brejo, fedorenta, ferrugem, laranja, loura, parda, preta, pururuca, rosa, santa, sassafraz, sebo, seiva, etc), Canjerana, Coopororoca, Caroba, Carvalho, Caviúna, Caxeta, Cedro, Garapa, Gibatão, Guanandi, Guatambu, Ipê (amarelo, batata, branco, cabeludo, claro, da serra, da várzea do brejo,do campo, do morro, pardo, peroba, rosa, roxo, tabaco, una, verde etc) , Jacarandá, Jacatirão, Jatobá, Jequitibá (braco, cedro, rei, rosa, vermelho), Louro (amarelo, batata, branco, cabeludo, da serra, do sul, mole, mutamba, preto, pardo, salgueiro, Freijó), óleo (copaíba, pardo, vermelho) Peroba ( amarela, amargosa, café, cetim, manchada, paulista, poca,rajada,rosa, vermelha), Pinus sp, Sapucaia, Sobrasil, Sucupira, Tamboril, Vinhatico (amarelo,branco,castanho,da mata, de espinho, do campo, rajado, testa de boi) ,etc.

Destas várias espécies, algumas se distinguem pela qualidade superior da madeira como:

O CEDRO, O JEQUTIBÁ, A PEROBA, O LOURO BATATA também chamado FREI JORGE OU FREIJÓ, A PEROBA E O VINHÁTICO. Oportunamente iremos transcrever de várias obras, a importância da espécie Cordia trichotoma, Família Boraginaceae, denominada FREIJÓ (também Frei-Jorge, ou louro, louro-pardo, louro -batata, canela -batata, ajuí, peteribi, cascudinho, louro-cabeludo, mutamba (BA), louro-mutamba, louro-amarelo,louro-do-sul, louro-da-serra existente na cidade de Manhumirim e arredores, que substitui o afamado Carvalho Americano, segundo literatura de especialistas em madeira.

                                                                                              Ruy Gripp  –  10/08/98

Posts Relacionados

Deixe uma resposta